Buscar
  • Equipe Shopper Telling™

As diferentes maneiras de contar uma história

Quantas versões escutamos da mesma história? É comum que cada povo traga em seu DNA cultural versões completamente diferentes de datas e celebrações que marcam o mundo todo. O Natal é uma dessas datas – que tem o mesmo significado e é mundialmente celebrado, mas têm versões muito diferentes de sua origem. Você sabe por que utilizamos o pinheiro e o Papai Noel como símbolos mais marcantes desta época? Apesar de conhecermos esta data como o dia do nascimento de Jesus Cristo sua raiz e símbolos são muito mais antigos.


O que conhecemos hoje por Natal era celebrado há cerca de 20 mil anos antes de Cristo, pelos povos germânicos, principalmente os Vikings marcando o solstício de inverno. Em alg

umas regiões da Germânia havia 6 meses de luz e 6 meses de noite, dessa forma os vikings tinham 3 meses para armazenar comida suficiente para a temporada das trevas, armazenavam castanhas, nozes e peixes de carne dura.



Nos meses de noite o inverno era rigoroso e a temperatura chegava a 40 graus abaixo de 0 fazendo com que a treva vencesse a luz, a mentira vencesse a verdade, a ignorância vencesse a sabedoria e a morte vencesse a vida. Mas bem no dia 24 de dezembro é que se sentia mais medo, pois era o dia em que o Sol estava mais distante da terra.

Como uma maneira de vencer o medo nesse dia os povos vikings se juntavam diante de uma árvore gigante, que apesar do inverno permanecia viva e verde – o Pinheiro – enfeitavam a árvore com velas, faziam um banquete com os alimentos armazenados e pediam que mais uma vez a luz vencesse a treva, a verdade vencesse a mentira, a sabedoria vencesse a ignorância e a vida vencesse a morte.


O Xamã da tribo escolhia um jovem rapaz para caçar um urso branco – símbolo de força Viking – o jovem partia em seu trenó floresta a dentro e quando voltava era preciso que ele retirasse a pele do urso e se vestisse com o sangue para fora e a pele branca para dentro, apesar de jovem a barba coberta de neve se tornava completamente branca.



Os cristãos torciam o nariz para as festas pagãs e tentavam acabar com a comemoração, mas não conseguiam, por isso, três séculos depois o dia do nascimento de Cristo foi mudado para dia 25 como forma de transformar a celebração em uma festa cristã. Dessa forma, até hoje utilizamos os símbolos Vikings: o banquete com peixes, castanhas, o Pinheiro como a árvore de natal e o jovem caçador em seu trenó como o Papai Noel. Ainda enfeitamos nossos pinheiros e colocamos luzes e presentes, ainda fazemos bons desejamos e celebramos desejando a todos FELIZ NATAL!

6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo